Vidalink

Saiba como o RH 4.0 está usando saúde e tecnologia para ser mais competitivo

Controlar os custos com plano de saúde é fundamental para a sobrevivência e competitividade de qualquer empresa. Quer uma notícia boa? Esse objetivo pode ser alcançado com o uso eficiente de informações na gestão de recursos de saúde. Nesse post, entenda como o plano de medicamentos pode ser um grande aliado na gestão dos custos de saúde.

O advento das novas tecnologias fez as decisões organizacionais deixarem de partir da simples intuição ou da experiência dos gestores, sendo, agora, apoiadas em dados ricos e de muito valor.

A seguir, descubra como alguns líderes de recursos humanos estão se beneficiando do Business Intelligence, o papel desses avanços no controle dos custos com plano de saúde e como um bom plano de medicamentos contribui nesse cenário.


Por que investir em Business Intelligence reduz os custos com o plano de saúde?


Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos, divulgada em matéria especial da revista Exame, os custos com plano de saúde ocupam mais que 10% do orçamento do RH das empresas e representam o segundo maior custo delas, ficando atrás apenas da folha de pagamento.

Com índices que variam de 12 a 20% do que é gasto com os Recursos Humanos, as despesas com assistência médica podem ser motivadas por uma série de fatores, mas a sua principal consequência sob controle do RH é o aumento da sinistralidade dos planos!

A fim de reduzir ou minimizar esses gastos, grande parte das empresas migram para outras operadoras ou até realizam downgrades de suas coberturas, atitude que, além de prejudicar o que é oferecido aos funcionários, serve apenas para adiar o problema.

Considerando que uma parte significativa das ocorrências de saúde poderiam ser contornadas ou assistidas de forma diferente, ou seja, focando mais em cuidados básicos e preventivos, é clara a importância de monitorar, orientar e auxiliar o cotidiano de seus colaboradores sob esses aspectos!

Para que isso seja possível, o uso de Business Intelligence permite a obtenção de informações precisas e altamente valiosas, que servem para direcionar as ações internas de um negócio.

Nesse sentido, é possível se apoiar em dados sobre a sua equipe para verificar a incidência de eventuais patologias, o impacto que o seu ambiente de trabalho oferece, as principais doenças que afetam os trabalhadores e aspectos que podem ser melhorados no dia a dia de trabalho.


Ganhos do RH com Business Intelligence


Entre os principais ganhos do Business Intelligence, além da gestão eficiente de dados, estão o acesso a informações que permitam ao RH evoluir na otimização dos processos, no reconhecimento de falhas, na identificação de oportunidades e na gestão de riscos.

Alguns casos muito comuns podem servir de exemplo sobre como essa gestão é capaz de reduzir os custos com o plano de saúde. Imagine, por exemplo, que muitos de seus colaboradores estão sofrendo com problemas relacionados ao estresse. Mais do que possibilitar o diagnóstico correto dessa questão, o apoio do Business Intelligence apontará os melhores meios de saná-la!

Os fatores internos que contribuem com a doença podem ser identificados, planos de correção podem ser estabelecidos - como mudanças no ambiente, no cardápio do refeitório ou até nos métodos laborais - e ações especiais podem ser promovidas, como semanas de prevenção, materiais sobre Síndrome de Burnout e aumento do subsídio a medicamentos específicos.

Um aumento no consumo de antiinflamatórios e remédios para dores em uma planta fabril ou área de maquinário pesado pode indicar, por exemplo, um aumento nas lesões por esforços repetitivos entre os trabalhadores. Uma rotina diária de alongamentos e exercícios pode ser criada e melhorias na ergonomia dos postos de trabalho podem ser feitas.

Da mesma maneira, se alguns grupos de trabalhadores estão sedentários e apresentam alto risco de desenvolver doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, informativos periódicos sobre o tema podem ser compartilhados, semanas esportivas promovidas e novos padrões de alimentação orientados.

Agora que você entende como o Business Intelligence contribui para tornar os custos com o plano de saúde menores, leia sobre a importância de tornar o RH mais competitivo e como um plano de medicamentos melhora a qualidade de vida dos colaboradores.


Como esse conceito é capaz de tornar o RH mais competitivo?


Uma das maiores preocupações dos negócios, atualmente, é a necessidade crescente de fazer o RH entender a importância dos dados.

De acordo com esse conteúdo do site Tecmundo, mais de 4 bilhões de pessoas utilizam a internet ao redor do mundo, sendo que o Brasil ocupa a terceira colocação entre os países que mais ficam online, com uma média de 9 horas e 14 minutos de acessos todos os dias.

Não é novidade que vivemos na era da informação, ainda mais quando nos deparamos com esse volume gigantesco de acessos, por isso, é fundamental que as empresas saibam como utilizar esses registros ao seu favor.

O fato é que com os novos padrões de competitividade e dinamismo impostos pelo mercado, o desafio de tomar decisões assertivas em uma empresa, agora, depende muito mais de informações sistemáticas, que precisam ser obtidas e interpretadas de maneira inteligente.

As empresas, cada vez mais, buscam soluções para a saúde e a ideia de Business Intelligence surgiu justamente para suprir essa necessidade, em que informações concisas servem de base para a criação de insights e otimizam os esforços e os recursos direcionados em áreas fundamentais, como o RH.

Por meio da coleta, tratamento e análise de dados, é possível traçar planos de ação e monitoramento, não apenas para decisões pontuais, mas também para manter um processo de melhorias contínuas e fazer a avaliação inteligente dos resultados dos investimentos.


Qual a função do plano de medicamentos?


Como vimos, o Business Intelligence otimiza a gestão das empresas porque oferece informações relevantes e qualificadas para a tomada de decisões, sejam elas corretivas ou visando melhorias.

Diante dessa definição, considere também que os custos com o plano de saúde, hoje, representam um dos gastos mais pesados das empresas, principalmente, por conta do aumento da sinistralidade.

Agora pense que quase 90% dos pacientes brasileiros com algum medicamento prescrito não recebem informações suficientes sobre como utilizá-los e 50% nem sequer possui recursos financeiros suficientes para adquiri-los.

Ao se deparar com esses dados da Associação da Indústria Farmacêutica, divulgados pelo portal Correio 24h, fica claro como o plano de medicamentos é importante para esses aspectos da gestão.

Seu uso é fundamental não apenas por dar acesso aos tratamentos adequados, em que a empresa subsidia boa parte dos custos dos remédios, mas também por garantir que eles sejam realizados da maneira completa.

Por meio de um sistema integrado de gestão, é possível verificar se os medicamentos são consumidos na periodicidade correta, se o seu uso corresponde ao que foi indicado no diagnóstico e ainda conferir se os resultados realmente diminuem a sinistralidade.

Como se não bastasse, um bom plano de medicamentos ainda possui convênios com as principais farmácias do país, disponibiliza informativos completos sobre as patologias comuns na sua empresa e oferece apoio profissional para que os colaboradores tirem suas dúvidas.

Quer saber ainda mais sobre como os custos com plano de saúde podem ser controlados através do plano de medicamentos? Continue acompanhando o conteúdo exclusivo do nosso blog e saiba como aderir a esse avanço na sua empresa!

Comentários

icon-newsletter

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.